Microsoft explica perda de desempenho com atualização de segurança do Windows

As falhas de segurança Spectre e Meltdown reveladas ao longo da última semana são problemáticas por múltiplos motivos. Além de exporem os usuários a ataques, elas têm um agravante que é o fato de que a correção dos problemas podem causar perda de desempenho dos processadores, o que é bastante indesejado. Agora, nesta terça-feira, 9, a Microsoft resolveu detalhar o quão impactante pode ser a atualização para sanar o problema.

De um modo geral, o update deve ser mais impactante para computadores antigos rodando sistemas operacionais, conforme publicação assinada por Terry Myerson, vice-presidente da Microsoft responsável pela divisão do Windows, no blog da empresa.

A empresa tem feito alguns benchmarks para comparação de desempenho antes e depois do update, notando, no entanto, que essas informações referem-se apenas às atualizações do sistema operacional liberadas pela própria empresa. A companhia não conseguiu fazer com as atualizações de firmware que as fabricantes de computadores terão que liberar para corrigir as brechas nos processadores.

Segundo os testes, usuários do Windows 10 rodando em um processador Intel Skylake (6ª geração) ou superior não devem ver grande diferença de desempenho. A Microsoft diz que a redução de desempenho ficou na casa de uma porcentagem abaixo dos 10%, sendo que a unidade de medida é na casa dos milissegundos, o que é imperceptível para a maioria dos usuários comuns.

No entanto, se você está rodando o Windows 10 em um processador um pouco mais antigo (a Microsoft menciona os chips Haswell, da 4ª geração da Intel), o impacto será maior. Nestes casos “há uma lentidão mais significante, e alguns usuários devem notar uma perda de desempenho”.

E se você estiver rodando uma versão anterior do Windows? Segundo a Microsoft, o problema deve se agravar com as versões 7 e 8 do sistema operacional, de modo que a companhia descreve que “a maioria dos usuários” deve reparar na perda de velocidade. A justificativa é que esses sistemas antigos utilizam recursos do processador no nível do kernel que são mais atingidas pelas soluções para as falhas Spectre e Meltdown.

A Microsoft também alerta para usuários do Windows Server que eles precisam fazer uma decisão sobre desempenho ou segurança, já que o impacto na velocidade é significativo especialmente se a tarefa do servidor é intensa em I/O (input/output, ou entrada e saída).

O comunicado da Microsoft é transparente de uma forma que poucas vezes se vê na indústria de tecnologia, onde atualizações são normalmente apresentadas como sempre positivas. A empresa parece ter tomado esse rumo, como nota o site The Verge, para evitar problemas como o enfrentando pela Apple e a revelação de que a empresa estava cortando a velocidade dos processadores para compensar a deterioração da bateria, fazendo chover processos na cabeça da companhia. A Microsoft tenta apresentar sua solução como uma opção que traz segurança, mas deixa claro que há contrapartidas negativas, e que a culpa não é sua, mas sim das fabricantes de processadores como Intel, AMD e ARM.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ