Apple vai permitir que todos os usuários baixem seus próprios dados

A nova legislação europeia conhecida como GDPR (sigla para Regulação Geral de Proteção de Dados em inglês) pode estar em vigor apenas na União Europeia, mas está aos poucos se refletindo em todo o mundo. O mais novo exemplo é que a Apple vai permitir que todos os seus usuários façam o download das informações que a empresa guarda sobre eles.

A companhia liberou um novo site dedicado a privacidade que, por enquanto, é limitado em funcionalidades para quem não é europeu. A página já permite o download dos dados pessoais de cidadãos da União Europeia, além de Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça, que não compõem o bloco mas ainda são parte do continente europeu.

A intenção da Apple é liberar a função de forma global em um futuro próximo, mas não há datas para que isso seja disponibilizado para nós, brasileiros, nem para outros países do resto do planeta.

Ao que tudo indica, no entanto, os dados que a Apple coleta são bastante limitados em comparação com o que o Google guarda sobre seus usuários. Enquanto uma solicitação para download de seus dados do Google resulta em um arquivo .zip que pode superar os 10 GB, o pedido para a Apple retorna informações da sua conta Apple ID, dados sincronizados pelo iCloud, sua atividade no Apple Music e App Store, registros de suporte pelo AppleCare e hábitos de compras online. A empresa informa que o processo de reunir essas informações pode levar até uma semana.

Para nós, não-europeus, já é possível usar o novo portal de privacidade da Apple, mas com funcionalidades limitadas. Só é possível corrigir dados que a empresa tenha guardados sobre você e apagar sua conta completamente.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ