Youtuber que filmou vítima de suicídio é punido pelo Google

Logan Paul, o youtuber norte-americano que gerou polêmica ao filmar o cadáver de um possível suicida em um vlog recente, foi punido pelo Google por conta de seu comportamento, anunciou a empresa por meio de um comunicado nesta semana.

A polêmica começou no dia 1 de janeiro, quando Logan Paul publicou um vídeo mostrando sua visita a Aokigahara, uma floresta no Japão conhecida como a "floresta do suicídio" pelo alto índice de suicídios realizados no local.

No vídeo, o youtuber chega a mostrar o cadáver de uma pessoa que aparentemente se enforcou numa árvore, tudo em um tom jocoso. Após críticas em redes sociais e a extensa cobertura da imprensa, Paul pediu desculpas e apagou o post sobre a floresta de Aokigahara.

Mas, até agora, o YouTube não havia se pronunciado de forma clara sobre o assunto. Ao Kotaku, a plataforma de vídeos do Google disse que removeu Paul do seu programa "Google Preferred", que impulsiona os canais mais populares do YouTube a anunciantes que queiram pagar mais pela exposição.

Além disso, o Google também encerrou seus projetos de séries originais estrelando Paul na plataforma YouTube Red, uma versão paga e sem anúncios do site de vídeos disponível nos EUA. O youtuber ainda não se pronunciou sobre as punições.

O caso de Logan Paul, que tem 15 milhões de inscritos e mais de 3 bilhões de visualizações em seu canal, lembra o de outra estrela do YouTube que se envolveu em polêmica no ano passado: o sueco Felix Kjellberg, conhecido como PewDiePie, dono do maior canal da rede.

Em 2017, o youtuber foi criticado após publicar vídeos fazendo piada com o nazismo. A resposta do YouTube, na ocasião, porém, foi mais rápida. O vlogger também perdeu parcerias comerciais com o Google, incluindo seu programa no YouTube Red.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ