Estrela em forma de gota

Rara estrela em forma de gota é encontrada por astrônomos amadores

Rafael Rigues, editado por Fabiana Rolfini 10/03/2020 08h03
Compartilhe com seus seguidores
A A A

HD74423 tem sua forma distorcida pela proximidade com uma anã-vermelha, que também faz com que "pulse" de uma forma incomum

Astrônomos amadores encontraram uma nova estrela de um tipo totalmente desconhecido ao analisar dados do observatório espacial TESS (Transiting Exoplanet Survey Satellite). Batizada de HD74423, a estrela tem uma forma alongada, como uma gota, em vez da forma esférica comumente associada às estrelas.


Localizada a cerca de 1.500 anos-luz da Terra e com 1,7 vezes a massa do Sol, HD74423 é uma estrela “pulsante”, cujo brilho varia de acordo com o tempo. Esse brilho é comum em sistemas binários, e ocorre quando a intensa atração gravitacional de uma estrela distorce outra estrela próxima. Estes pulsos, que se assemelham às “batidas” de um coração, dão às estrelas deste tipo o apelido de “heartbeat star”.

A nova estrela forma um par binário com uma anã-vermelha muito próxima. Mas elas são tão próximas que completam uma volta ao redor da outra em apenas dois de nossos dias. A atração gravitacional da anã-vermelha faz com que HD74423 “pulse” em apenas um hemisfério, que é distorcido em uma forma alongada e lhe dá sua aparência incomum.

Descoberta

Os dados do TESS são publicamente disponíveis, e a natureza incomum de HD74423 foi descoberta enquanto astrônomos amadores procuravam por sinais de exoplanetas. Isso chamou a atenção de uma equipe internacional de astrônomos, composta por pesquisadores da Europa e Austrália.

"Os dados requintados fornecidos pelo satélite TESS fizeram com que pudéssemos observar variações no brilho devido à distorção gravitacional e às pulsações da estrela", disse Gerald Handler, principal autor do estudo e professor do Centro Astronômico Nicolaus Copernicus, na Polônia.

“Desde 1980 sabíamos, em teoria, que estrelas como essas deveriam existir”, disse Don Kurtz, da Universidade de Lancashire Central, Inglaterra, e professor-visitante na Universidade de Sidney, Austrália. “Venho procurando por uma estrela como esta por quase quarenta anos, e agora finalmente encontramos uma”.


Fonte: CNN

Astronomia Estrelas observatório satélite estrela anã vermelha
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você