Segurança

whatsapp caiu

Cibercriminosos usam QR Code para invadir o seu WhatsApp. Proteja-se!

Henrique Freitas, editado por Rui Maciel 10/06/2019 19h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Ataque da vez, conhecido como QRLjacking, consiste em falsificar o registro no QR Code, e pode afetar qualquer usuário

De acordo com a empresa de cibersegurança ESET, os cibercriminosos estão usando o QR Code do WhatsApp para praticar golpes e hackear sua conta no aplicativo. O Laboratório de Pesquisa da companhia, localizado na América Latina, analisou os casos em que os invasores sequestram uma conta no app, tendo acesso a todos os contatos, arquivos e conversas da conta da vítima. A conclusão foi de que há um novo tipo de ataque em alta: o QRLjacking.


Esse tipo de ameaça consiste em tirar proveito de técnicas de engenharia social para atacar aplicativos que usam o QR Code como um método de registro – como é o caso do próprio WhatsApp, que oferece aos usuários a possibilidade de usar o mensageiro no computador sem qualquer validação adicional. Cientes disso, os cibercriminosos desenvolveram ferramentas que capturam e armazenam a imagem do código QR gerada pelo WhatsApp e criam um novo código falso, do mesmo tipo, para mostrar à vítima.

Reprodução

Ao cair na página mal-intencionada, o usuário tem a sua sessão sequestrada. Ela fica armazenada no computador do criminoso e ele pode usá-la como quiser, sem causar qualquer tipo de interrupção no uso do aplicativo no telefone da vítima. "Enquanto analisamos a ameaça que ocorre neste caso, é importante destacar que todos os aplicativos que usam códigos QR podem sofrer ataques semelhantes", afirma Daniel Barbosa, especialista em segurança da informação da ESET na América Latina.

"É possível aumentar o nível de controle para que o código QR possa ser usado com mais segurança. Há também a necessidade de conscientização por parte dos fabricantes para que os dados dos usuários sejam cada vez mais protegidos e que os aplicativos tenham mais recursos voltados para a segurança de todos", conclui Barbosa.

O Laboratório de Pesquisa ESET dá dicas de segurança para evitar esse ataque. Confira:

  • Conheça os aplicativos que utiliza: no caso do WhatsApp, o QR Code serve exclusivamente para permitir que o aplicativo seja usado no computador. Suspeite se algum anúncio pedir para digitalizar o QR Code em troca de algum benefício ou como parte de um processo além da validação;
  • Use o mínimo necessário de redes públicas ou não confiáveis: este e outros tipos de ataques ocorrem quando o cibercriminoso está na mesma rede que suas vítimas. Caso você use redes públicas, evite acessar informações que não são extremamente necessárias para você naquele momento;
  • Esteja sempre atento: manter a atenção, mesmo em redes consideradas seguras, é uma prática recomendada, que ajuda a evitar diferentes tipos de incidentes de segurança;
  • Observe se o app respondeu ao seu comando: no caso de escanear um código e não receber nenhuma ação em resposta, provavelmente o usuário sofreu um ataque. Em caso de dúvida, na tela principal do WhatsApp, selecione a opção "WhatsApp Web" e feche todas as sessões que foram iniciadas. Isso acaba com o acesso dos criminosos à sua conta;
  • Mantenha todos os programas de segurança ativados: configure-os para bloquear ameaças, tanto no smartphone quanto no computador;
  • Atualize constantemente todos os programas e aplicativos usados: as atualizações trazem novos recursos e corrigem quaisquer problemas de segurança que os programas possam ter.

Fonte: CryptoID

Hackers QR Code Whatsapp cibersegurança
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você