YouTube Popular

Moderadores do YouTube sob risco de sofrer de estresse pós-traumático

Renato Mota 27/01/2020 11h01
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Funcionários terceirizados que assistem horas de vídeos (muitos que retratam violência extrema) em busca de violações na política da plataforma relatam sofrer sintomas de ansiedade e depressão

Os moderadores de conteúdo do YouTube estão sendo solicitados a assinar um documento reconhecendo que a execução da tarefa pode causar-lhes transtorno de estresse pós-traumático. A informação foi obtida por funcionários que foram entrevistados pelo site The Verge após uma matéria que denunciava suas condições de trabalho.


A empresa contrata terceirizados para assistir e avaliar alguns dos vídeos que possivelmente violam a política do site. Moderadores contratados da Accenture em um escritório no Texas assistem cinco horas de vídeos por dia (muitos deles com cenas de violência extrema) e descrevem sentimentos como ansiedade, depressão, terrores noturnos e outras consequências graves para a saúde mental.

 “Entendo que o conteúdo que analisarei pode ser perturbador”, diz o documento distribuído aos colaboradores, “é possível que a revisão desse conteúdo possa afetar minha saúde mental e até levar ao Transtorno de Estresse Pós-Traumático. Aproveitarei ao máximo o programa weCare e procurarei serviços adicionais de saúde mental, se necessário. Direi ao meu supervisor / ou ao meu consultor de pessoas de RH se acredito que o trabalho está afetando negativamente minha saúde mental”, completa.

"O bem-estar de nosso pessoal é uma prioridade", disse uma porta-voz da Accenture ao The Verge por e-mail. "Atualizamos regularmente as informações que fornecemos a nosso pessoal para garantir que eles tenham uma compreensão clara do trabalho que realizam - e do programa de bem-estar líder do setor e dos serviços de suporte abrangentes que fornecemos".

A Accenture disse que compartilha informações sobre conteúdo potencialmente perturbador com todos os moderadores de conteúdo que emprega, incluindo aqueles que trabalham em seus contratos com o Facebook e o Twitter. Mas não responderia a perguntas sobre se informa especificamente aos moderadores do Facebook e do Twitter que eles estão em risco de sofrerem doenças mentais.

A assinatura do documento é voluntária, mas dois funcionários disseram ao The Verge que eles se sentiam ameaçados de serem demitidos se se recusassem a assinar. O próprio documento também afirma que é necessário seguir as instruções: "É estrita a observância de todos os requisitos deste documento", diz. “O não cumprimento dos requisitos equivaleria a uma má conduta grave e, para os funcionários da Accenture, ação disciplinar imediata até a demissão. ”

Um dos entrevistados disse que um de seus colegas de trabalho ficou tão sobrecarregado pelos vídeos que viu que tirou dois meses de licença não remunerada do trabalho. Outro colega, com problemas de depressão causada pelo trabalho, negligenciou tanto sua dieta que teve que ser hospitalizado por uma deficiência aguda de vitamina.

"Todo dia você assiste alguém decapitar outra pessoa ou atirar em sua namorada", diz Peter. “Depois disso, você se sente que este mundo é realmente louco. Isso faz você se sentir doente. Você sente que não há nada pelo que valha a pena viver. Por que estamos fazendo isso um com o outro?”, afirma o funcionário. Os moderadores precisam para identificar com precisão o discurso de ódio e a propaganda terrorista e removê-lo do YouTube.

Via The Verge

Saúde Youtube violência saúde mental
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você